Biografia

DESTAQUE-BETO(2)

Em quatro mandatos consecutivos na Câmara dos Deputados, Beto Albuquerque construiu a imagem de parlamentar ativo, com forte influência entre seus colegas e preocupado com as questões ambientais, sociais, de mobilidade urbana e de segurança no trânsito. Líder da bancada do PSB, é um dos cem “cabeças” do Congresso Nacional, na definição do Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (DIAP).

Entre as muitas discussões no Parlamento nas quais teve um papel decisivo, Beto Albuquerque foi o relator do Projeto de Lei de Gestão de Florestas Públicas, enviado ao Congresso em 2005 pelo Ministério do Meio Ambiente, então sob o comando de Marina Silva, hoje candidata à Presidência da República pela Coligação Unidos pelo Brasil. Sancionada em 2006, a legislação viabilizou a exploração das florestas públicas de maneira sustentável, o que ajudou na redução da exploração predatória de madeira e da grilagem de terras no país.

Além de ser um dos melhores parlamentares brasileiros, é reconhecido também como um gestor competente. De janeiro de 1999 a abril de 2002 foi secretário dos Transportes do Rio Grande do Sul e, de janeiro de 2011 a dezembro de 2012, secretário estadual de Infraestrutura e Logística.

Gaúcho de Passo Fundo

Luiz Roberto de Albuquerque nasceu em Passo Fundo, município no norte do Rio Grande do Sul, em 6 de janeiro de 1963, filho de Telmo Lopes de Albuquerque e Vanir Teresinha Turra de Albuquerque.  Ainda adolescente, aprendeu mecânica com o pai e exerceu o ofício até se tornar advogado, formado pela Faculdade de Direito da Universidade de Passo Fundo.

Iniciou sua militância política durante a universidade. Em 1986, presidiu o Diretório Central de Estudantes. De 1987 a 1990, dirigiu a Associação Passo-fundense de Defesa do Consumidor. Foi ainda fundador do Movimento de Justiça e Direitos Humanos na região de Passo Fundo.

Já filiado ao PSB, foi um dos candidatos a vereador mais votados de Passo Fundo em 1988, mas não conseguiu uma vaga na Câmara Municipal em razão de a legenda não ter atingido o coeficiente exigido. Dois anos depois, foi eleito deputado estadual como o terceiro mais votado da aliança Frente Popular. Em 1994, reelegeu-se para a Assembleia Legislativa.

Em 1998, Beto Albuquerque chegou à Câmara dos Deputados. Em 2002, já em seu segundo mandato, se tornou membro titular da Comissão de Viação e Transportes (CVT). No ano seguinte, assumiu o cargo de presidente da Frente Parlamentar em Defesa do Trânsito Seguro. Sua atuação em favor da segurança no trânsito resultou, em 2006, na aprovação de duas leis de sua autoria que aprimoraram o Código de Trânsito Brasileiro (CTB). No mesmo ano, foi apontado como um dos 25 melhores parlamentares pelo site Congresso em Foco e, em outubro, conseguiu a reeleição com 174.774 votos, 38,32% a mais do que na eleição anterior.

Em 2010, Beto Albuquerque foi reeleito para o quarto mandato, novamente com votação expressiva – 200.476 votos. Em 2013, foi eleito por aclamação líder do PSB na Câmara dos Deputados, cargo para o qual foi reeleito neste ano. É também presidente do PSB do Rio Grande do Sul.

Beto Albuquerque é autor de inúmeras leis que ajudaram a melhorar a vida de parcelas importantes da população brasileira. Em 2009, foi sancionada a lei de sua autoria que instituiu a Semana de Mobilização Nacional para Doação de Medula Óssea (14 a 21 de dezembro). Em 2010, quando foi reeleito para o seu quarto mandato consecutivo, o Fundo Nacional do Idoso,  recebeu a sanção do presidente Lula. Por iniciativas como essas, foi eleito seguidas vezes um dos melhores parlamentares em atividade.

Casado com Daniela, Beto Albuquerque tem quatro filhos, Rafael, Pietro (in memorian), Nina e Luca.

Comentários