<< Voltar

Em nove dias, Marina supera Dilma e Aécio no Facebook

Publicado em 01/09/2014
- Diego Iraheta - Brasil Post

A disparada de Marina Silva (PSB) na corrida presidencial nas pesquisas eleitorais vem acompanhada de um avanço de buzz nas redes sociais. A candidata que marca 34% das intenções de voto no primeiro turno, empatada com a presidente Dilma Rousseff (PT), vence dela e de Aécio Neves (PSDB) na quantidade de engajamentos no Facebook.

Levantamento divulgado nesta segunda-feira (1º) pelo E.life Group, uma das maiores empresas de monitoramento de redes sociais da América Latina, mostra que, em nove dias, a página de Marina no Facebook ganhou 237,9 mil fãs. As fan pages de Aécio e a de Dilma conseguiram, respectivamente, 60,9 mil e 51,4 mil fãs a mais de 19 a 27 de agosto.

A quantidade de postagens marcando Marina atingiu oito milhões. É mais que o dobro do número de histórias sobre Dilma, que teve 3,9 milhões de menções, e de Aécio, com 3,8 milhões.

“Em um mês, [Eduardo] Campos havia alcançado pouco mais de três milhões de histórias envolvendo a sua página”, diz o relatório do E.life. “Em uma semana, Marina alcançou mais de oito milhões, enquanto que os outros dois presidenciáveis não chegaram a metade deste número.”

Marina teve seis posts entre os dez que tiveram mais interações. A postagem com maior engajamento reproduz a frase emblemática de Eduardo Campos, que ela substituiu como cabeça na chapa presidencial após acidente aéreo que matou o ex-governador de Pernambuco.

A indicação de Aécio de que o ex-presidente do Banco Central Armínio Fraga será ministro da Fazenda em um eventual governo do tucano foi a postagem dele que mais engajou no Facebook.

A celebração do número de curtidas da página Dilma foi o post da página da presidente que mais repercutiu.

A força digital de Marina fica mais clara ao se comparar o número de postagens dos três presidenciáveis. A página de Dilma teve 149; a de Aécio, 94; e Marina, 72.

Apesar do menor número de posts publicados, a ambientalista teve maior alcance em suas mensagens.

Acesse o levantamento do E.life Group na íntegra

Comentários

Clique para ver a notícia original << Voltar